quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Faíscas Cintilantes

Links para esta postagem

O universo realmente é incrivelmente grande, falar em 200 bilhões de estrelas somente na Via Láctea é um numero gigantesco, mas o numero em si não representa o que ele anuncia, mesmo se eu escrever o numero com todos os zeros são 200.000.000.000 de estrelas, é um numero realmente grande mas mesmo assim não dá á dimensão exata, vamos comparar então também a nossa estrela que representa uma única unidade nisto tudo 1(uma) estrela, isto é, temos mais 199.999.999.999 estrelas em nossa galáxia a Via Láctea. Estas estrelas estão todas na imagem abaixo:

Este borrão acima, representa a Via Láctea, todas as 200 bilhões de estrelas estão ali, inclusive o nosso sol.
Esta outra imagem também mostra a Via Láctea e suas estrelas:
Ainda não da para ter idéia da dimensão destas 200 bilhões de estrelas? Mas notem que existem duas manchas maiores, em cima e abaixo da via láctea, que são duas galáxias satélites, chamadas de Pequena e Grande Nuvem de Magalhães, repare também, sei que é complicado, mas existem vários pontos brancos, de dimensão um pouco maior que a maioria, eles são chamados de Aglomerados Globulares, eles ficam fora da nossa galáxia, resumidamente são aglomerações de estrelas, que por sinal. são as estrelas mais antigas do universo, na imagem abaixo podemos entender bem isto, mostra também onde estamos localizados na Via Láctea.


Os chamados “Globular Clusters” são estas aglomerações globulares, notem que  na imagem acima somente o nosso sol esta exagerado e o restante esta em escala, vamos agora dar uma olha em somente, em uma destas aglomerações globulares, nesta sequência de fotos, vamos ver a Aglomeração Globular M13.



No link abaixo você pode pegar a imagem com uma resolução maior.
Notem que de um simples ponto suspenso a margem da Via Láctea temos esta incrível imagem com mais de 100mil estrelas (cada pontinho é uma estrela), o que era um único ponto perdido no espaço, existem estas infinidades de pontos luminosos, em alguns destes pontos podem existir planetas, orbitando, como no recém descoberto PSR B1620-26 apelidado de “Methuselah” ou “Matusalém” que tem idade estimada em 12.7bilhões de anos três vezes mais que a nossa Terra, este planeta esta no aglomerado globular M4, ele circunda duas estrelas uma de nêutron, e uma anã branca, ambas as estrelas já estão “mortas”. A estrela de nêutrons surgiu de uma Supernova, a partir de uma estrela chamada Gigante Vermelha, e a estrela anã branca, de uma estrela como o nosso Sol, .Provavelmente quando a estrela parecida com o nosso sol ainda não tinha “morrido” capturou gravitacionalmente a já “morta” estrela de nêutrons, formando este conjunto binário de estrelas, provavelmente esta ultima ajudou a “matar” a estrela parecida com o nosso sol. Veja a concepção artística do planeta encontrado.

Veja de fundo a pulsar, a esquerda a estrela de nêutrons, e a anã branca à direita, este planeta é incrivelmente antigo, tão quanto o próprio universo, podemos imaginar assim, que a vida deve ter se originado no universo muito antes do imaginado. Abaixo vemos onde a dupla de estrelas está localizada no aglomerado globular M4.


Achou? É aquele pontinho branco dentro do circulo verde, isto mesmo o planeta por não emitir luz própria não é visível, somente sua estrela, mas podemos ver que em somente um ponto minúsculo, podemos encontrar um planeta e um sistema que são ínfimos perto dos 200 bilhões de estrelas da Via Láctea, ora a Via Láctea é somente uma das galáxias, podemos ver aqui uma evolução do tamanho do universo e localização da Via Láctea nele.
Aqui a Via Láctea sempre vai aparecer no centro, vemos aqui as galáxias satélites da Via Láctea.


Aqui já podemos observar as galáxias do chamado grupo local que são as galáxias mais próximas da Via Láctea.
Aqui encontramos já estamos no Superaglomerado de Virgem, onde além do Grupo Local onde nós estamos também encontramos outros grupos de galáxias, cada uma com várias outras.

Aqui vemos os Superaglomerados mais próximos vários deles contento milhões de galáxias cada um.

E finalmente todo o universo com 270mil superaglomerados produzindo 500milhões de grupos de galáxias, 10 bilhões de grandes galáxias e 100 bilhões de pequenas galáxias e assim três trilhões de bilhões de estrelas ou: 30.000.000.000.000.000.000.000,00 de estrelas.
Lembra da imagem daquele pequeno Aglomerado Globular com “somente” 100.000,00 estrelas um nada perto do universo. Lembre do pequeno ponto onde encontramos aquele planeta incrivelmente antigo, um nada dentro de outro nada. Veja abaixo a imagem do nosso planeta quando a sonda Voyager 1 estava saindo do sistema solar.

Veja a Terra dentro do circulo azul envolto em um raio de sol.
Somos um pequeno ponto, isto nem muito longe de casa, isto elimina qualquer prepotência humana de achar que é ou representa alguma coisa no universo, somos importantes para nós mesmos, não somos nada alem de seres perdidos em um canto do universo, não somos nada importantes e até que se prove o contrario a única opinião sobre nos humanos vem de nos mesmos, achar que somos seres privilegiados por um imaginário talvez criador do cosmos é uma tremenda idiotice, a única coisa que temos somos a nós mesmo homens e mulheres e este pálido ponto azul chamado de planeta Terra, se nos humanos não assumirmos nossa insignificância seremos meras lembranças daqui séculos, quando antropologista e arqueólogos extraterrestres toparem com este mundo perdido constatarem que bebemos, dançamos, cantamos, nos matamos, guerreamos, gritamos ser mais importantes que outros, derramamos rios de vinho e de sangue pelo chão, ajoelhamos por um salvador que nunca veio e nunca virá e adoramos estatuas e mitos antigos, estes visitantes tomaram como lição de uma raça que não saiu da infância onde se dava mais importância acreditar em seres imaginários que cuidar do seu canto no universo, que não conseguiu olhar para a vastidão do cosmos e lamentar sua prepotência em achar que é privilegiado, de não sentar refletir e entender que deve largar seus medos primitivos e começar um novo mundo, cuidando e coabitando com os outros seres vivos aqui presentes assim quem sabe um dia podemos conhecer o universo e quem sabe um dia em um outro mundo sentar e apreciar uma noite com esta:

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Espiritismo: Ilusão, Charlatanismo, Invenção, Movimentos Inconscientes e Memórias Esquecidas.

Links para esta postagem

Participei de uma sessão espírita há muito tempo atrás e como nem todos sabem as sessões são divididas em duas partes, uma para estudos e outra parte para mediunidades, a parte que propõe ser sobre estudos não segue o método cientifico, eu na época não tinha o conhecimento cientifico profundo que tenho hoje de como devemos analisar um caso, mas mesmo na época notei que um simples relato era prova suficiente para as pessoas ali reunidas e já demonstrei em uns 15 post’s que isto não prova nada a não ser que somos pessoas suscetíveis a enganos. A parte em que são feitas as sessões mediúnicas reparei um efeito psicológico chamado “vontade de acreditar”, existe a vontade que aquilo de certo, positivismo e luzes baixas permeia o ambiente, pouco ceticismo, musica lenta, palavras bonitas são como sol e água para as plantas, e florescem assim vários acontecimentos como psicografias, espíritos falantes, curas mediúnicas. (NOTA: Talvez fui muito simplista na descrição da reunião espirita que participei, necessito participar de outra, acho que não é exatamente desta maneira que menciono aqui.)
                Após esta experiência resolvi pesquisar sobre o assunto e consegui descobrir muita cosia, que inclusive me fez perguntar, porque todas aquelas pessoas não fizeram nem um tipo de pesquisa nem a mais básica? Se o fizeram resolveram utilizar o bordão a tempos utilizado contra os céticos, “os cientistas não vêem além do mundo físico”, mas eu me pergunto. Ver o que? Ficar me enganando com ilusões de algumas pessoas? Não obrigado, gostaria muito que várias coisas que as religiões ou doutrinas pregam fossem verdade, seria incrível conversar com um espírito cientista desta “outra dimensão”, como era o desejo do falecido Carl Sagan. E porque as pessoas que fazem a psicografia nunca escreveram um livro técnico? Duvido que os grandes cientistas de décadas, séculos e milênios atrás não tenham algo de novo para falar, tentar elucidar alguma duvida recorrente, ou então recuperar livros perdidos, como no caso do incêndio que houve na biblioteca de Alexandria, pouquíssimos dos vários papiros foram recuperados, informações incríveis se perderam, não custaria um espírito solista nos ajudar a recuperar estas informações? Será que no universo inteiro de profissões e coisas que poderiam ser utilizadas somente as histórias cotidianas e romances são os que podem ser psicografados? Coisas estas, que qualquer um pode escrever.
Mas existe uma explicação. Vários médiuns que entram em transe e começam a psicografar são em muitíssimos casos em que a criptomnésia explica (a outra explicação é o charlantanismo), criptomnésia quer dizer literalmente memória oculta, algumas informações durante a vida são armazenadas e muitas não são utilizadas, mas estão lá, no limiar do subconsciente, explica também o chamado efeito Déjà-vu, lembranças esquecidas reavivadas por um local ou pessoa que lembra algo que esta na memória, nosso cérebro que não é perfeito informa que é um local conhecido, mas ele mesmo não tem certeza por isto fica a "impressão de já ter visto ou estado", mas na verdade é só uma junção de locais e pessoas e no caso da psicografia também, muitas memórias de casos ouvidos por um por outro, lidos, interpretados ficam perdidos na nossa cabeça, e algumas pessoas por algum problema no cérebro (amnésia, esquizofrenia entre outros) tem algum tipo de confusão mental aonde esta informações vão aflorando às vezes em sequência como no original outras vezes se interpolando entre as milhões de lembranças, aliando isto com a técnica da leitura fria que muitas pessoas tem naturalmente, formam um médium muito “convincente” se não fosse os frustrantes resultados, como o que eu citei sobre somente as psicografias se tratarem de romances e assuntos banais, nada que qualquer outra pessoa também não escreva. Em alguns casos estes médiuns são pessoas inteligentíssimas e o cérebro faz associações lógicas incríveis, pessoas assim com um pouco de treino e conhecimento não seriam médiuns mas cientistas ou até detetives, por isto o uso de médiuns em casos de policia, o médiuns acha que é um "poder" que ele tem mas é simplesmente o seu cérebro juntando informações de forma lógica. (adicionado em 05/11/2010).
                Resolvido isto vamos para o que impressionou muito Allan Kardec quando ele criou o espiritismo, não se impressione com a palavra “criou”, pois foi exatamente isto que ele fez, não existiu tentativa de entender os acontecimentos, ele simplesmente olhou as manifestações e conclui que só poderia ser obra de espíritos e se os mesmo existiam deviam ser regidos por alguma ordem ou entendimento e começou a inventar todo o espiritismo pois não existe nenhum evidência ele simplesmente pensou de forma aleatória mais ou menos da seguinte forma, “se algumas pessoas se comunicam com espíritos eles devem existir, nos não conseguimos ver os espíritos então eles não pertencem ao mundo físico, no mundo físico os humanos morrem, logo no mundo espiritual somos eternos, se somos eternos, então nós encarnamos várias vezes, mas o mundo não apresenta evidente melhora, logo deve existir outros mundos em que somos enviados, ....” e ai vai até escrever vários livros, isto é o tipo de pensamento  Post hoc, ergo propter hoc (Depois disto, logo causado por isto), que é uma falácia lógica, um bom experimento seria pedir para 30 pessoas evoluírem uma redação que tivesse o enunciado da seguinte maneira “Algumas pessoas tem a idéia que todos os humanos possuem um espírito, explique baseado em seus conhecimentos como funciona a vida destes espíritos que estão conectados ao corpo dos humanos
Teríamos 30 novas explicações para o espiritismo, isto é, a única que vingou foi a da pessoa que criou da primeira vez, só isto, mas qualquer um podia escrever, não existe estudo nenhum a não ser de ter a tentativa de conectar a outros efeitos e religiões.
                Tirando esta pequena explicação de como se criam religiões, vamos para o que motivou Allan Kardec a escrever o espiritismo, alem do que já expliquei sobre a psicografia ele ficou muito impressionado com as chamadas “Mesas-Girantes” que depois “evoluiu” para a chamada “brincadeira do copo”, foram provadas pelo físico Michael Faraday como embuste sendo tudo interação entre a pessoa e a mesa/copo, ele provou com um experimento simples, colocou sobre a mesas varias pilhas de papel onde as mãos das pessoas ficavam apoiadas e concluiu que se fosse o espírito que tivesse movendo a mesa para a esquerda, por exemplo, a pilha ia formar uma "escada" da esquerda para a direita, se fosse a mão da pessoa formaria da direita para a esquerda, nem preciso dizer que foi a mão que fez o movimento, mas ainda assim as pessoas juram de pé junto que não foram elas, bom isto é explicado pelo efeito Ideomotor, postula este efeito que podem ser desencadeados movimentos musculares as vezes independente das vontades e emoções, pode-se não estar ciente do fato, mas outras pessoas ou observações podem induzir sugestões a mente, que podem influenciá-la e afetar o comportamento motor. Um bom teste foi feito pelo professor de psicologia da Universidade de Oregon, Ray Hyman, ele juntou vários alunos em uma sala e pegou as famosas varinhas de radioestesia (procurar fontes de água, entre outros), e utilizou-a na frente dos alunos até que elas se cruzassem em um ponto da sala, e disse que ali passava uma tubulação, todos os alunos fizeram o experimente e falaram que sentiram uma estranha força que os levavam para exatamente aquele ponto, ele repetiu o teste com outra sala e chegou a outro ponto distinto, nem preciso falar que também os alunos sentiram a água naquele ponto, mas água mesmo nem passava perto daquela sala, isto prova um dos efeitos da força ideomotor, causa isto de um cérebro ainda em evolução, sugestionável e factível a erros.
                Assim podemos entender que basicamente o espiritismo é uma pegadinha que o cérebro prega nas pessoas, eu poderia aqui explicar as experiências fora do corpo, visões de fantasmas, vozes do além, fotos com fantasmas e todo um zoológico de acontecimentos espirituais, mas tudo resume a um cérebro ainda em evolução, a vontade de acreditar e sempre tentar explicar acontecimentos com a falácia lógica do que depois do acontecimento “só pode ter sido causa por isto”.
                Mas no futuro pretendo colocar aqui minhas opiniões sobre estes outros acontecimentos.



Alguns trechos foram tirados do livro do Carl Sagan "O Mundo Assombrado pelos Demônios, A Ciência Vista como uma Vela no Escuro".

Links: