quarta-feira, 23 de maio de 2012

Porque eu não vou congelar as células tronco do cordão umbilical do meu filho?

Links para esta postagem
Vou reproduzir aqui uma pesquisa que fiz sobre a coleta e criogenia das células tronco do cordão umbilical e placenta conhecido no meio clinico como "SCUPA". Descobri que existem duas formas de se armazenar. A primeira é em um banco publico para uso alogênico, isto é, para outras pessoas. A segundo é em um banco privado para uso autólogo. E não é que, para a minha surpresa, que o uso autólogo não é recomendado. Isto por vários órgãos e médicos especialistas, então o que fazem estas empresas privadas, senão uma propaganda enganosa?


Vale lembrar que o uso alogênico (banco publico) é estimulado e o seu uso pode sim curar vários canceres etc. etc.


Vou reproduzir aqui as informações que eu encontrei.



  • O INCA não aconselha o armazenamento de SCUPA por meio de banco privado, reproduzo abaixo a declaração.

Qual o posicionamento do Ministério da Saúde com relação aos bancos privados?O Ministério da Saúde e a coordenação da Rede Brasilcord são contrários a esta atividade, principalmente pela falta de utilidade pública e pela forma enganosa como tem sido feita a propaganda dos bancos privados. Os órgãos internacionais recomendam que não deve ser feito investimento público em bancos privados.Retirado da página da internet no endereço
http://www1.inca.gov.br/conteudo_view.asp?id=2469



  •  A não recomendação de utilização do SCUPA autólogo, isto é, não é recomendado por uma série de artigos médicos de organizações nacionais e internacionais. Entre elas a Academia Americana de Pediatria e vários hematologistas importantes.

...a geneticista Mayana Zatz demonstrou que, em cada dez amostras de sangue de cordão, apenas uma continha células mesenquimais."Acho bobagem congelar o sangue de um bebê para uso privado. Primeiro, porque temos células-tronco em diversos tecidos, inclusive na polpa dentária. Segundo, porque o risco de ele desenvolver anemia grave ou leucemia é muito baixo. E, se isso vier a acontecer, não se recomenda o uso do cordão do próprio paciente", diz a geneticista...
http://veja.abril.com.br/noticia/saude/congelar-o-cordao-vale-a-pena

FOLHA - Há possibilidade de, no futuro, as células congeladas em bancos privados serem usadas para tratar doenças hematológicas e outras doenças no próprio paciente? ROCHA - É muito pequena a possibilidade de usar as células do sangue de cordão em caso de doenças hematológicas, principalmente as leucemias ou os linfomas, que venham a ser diagnosticadas no futuro. Primeiro porque essas doenças são relativamente raras e muitas vezes podem ser curadas com quimioterapia ou transplante de medula óssea. Segundo porque um estudo recente mostrou que a probabilidade de se precisar de um transplante autólogo aumenta após os 40 anos de idade (de 0,2% a 0,9%). Dessa forma, não há nenhuma indicação atual para se coletar e congelar as células do sangue do cordão para o próprio uso. É como comprar um lote na Lua: as empresas dizem que a Terra vai acabar e você compra um lote na Lua. Qual a possibilidade de isso acontecer de verdade?
Dr. Vanderson Rocha, diretor-científico do Projeto Eurocord
http://www.advsaude.com.br/noticias.php?local=1&nid=4194

...Como hematologista, recebo inúmeras consultas de casais perguntando se devem ou não congelar o sangue do cordão umbilical de seus filhos ao nascimento. Imagino que os pediatras recebam com freqüência este mesmo questionamento.Minha resposta tem sido: eu não guardaria do meu filho...
Nelson Hamerschlak
Doutor pela Universidade de São Paulo
 http://www.pediatriasaopaulo.usp.br/upload/pdf/1209.pdf

Não se cogita o emprego do transplante autólogo em doenças congênitas, uma vez que todas as células do paciente apresentam o mesmo genoma, exceto se, no futuro, se concretizar o desenvolvimento de terapia gênica. Nesse sentido, alguns estudos mostram que certas leucemias podem ter início intrauterino, manifestando-se posteriormente. Nesses casos o transplante autólogo não é a primeira escolha. Da mesma forma, o uso de transplante autólogo em linfomas e doenças autoimunes é limitado pela pequena quantidade de CTH na unidade armazenada, suficientes somente para transplante em crianças e não em adultos. Além disso, em crianças com tumores sólidos, o transplante autólogo não é uma opção terapêutica padrão, exceto no neuroblastoma fase IV, patologia rara. Porém, é limitado pela insuficiência de células para os ciclos necessários de tratamento.
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-42302009000100002&script=sci_arttext

Cord blood donation should be discouraged when cord blood stored in a bank is to be directed for later personal or family use, because most conditions that might be helped by cord blood stem cells already exist in the infant’s cord blood (ie, premalignant changes in stem cells). Physicians should be aware of the unsubstantiated claims of private cord blood banks made to future parents that promise to insure infants or family members against serious illnesses in the future by use of the stem cells contained in cord blood. Although not standard of care, directed cord blood banking should be encouraged when there is knowledge of a full sibling in the family with a medical condition (malignant or genetic) that could potentially benefit from cord blood transplantation.
AMERICAN ACADEMY OF PEDIATRICS
http://pediatrics.aappublications.org/content/119/1/165.full

The legitimacy of commercial cord blood banks for autologous use should be questioned as they sell a service, which has presently, no real use regarding therapeutic options. Thus they promise more than they can deliver. The activities of such banks raise serious ethical criticisms.
THE EUROPEAN COMMISSION 
http://ec.europa.eu/bepa/european-group-ethics/docs/avis19_en.pdf


Mas não existe esperança de usar as células tronco de forma autóloga? Sim existe, como tudo na ciência, é possível um dia isto ser revertido, mas pelas publicações que acompanhei, até agora esta é uma possibilidade muito remota, falta muita pesquisas sobre isto. Alem é claro da preferencia de pesquisa usando células de forma alogênia, forçando ainda mais a necessidade de uma banco publico para armazenamento e diminuindo a importância de armazenamento autólogo.