segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Fez-se da vida uma aventura errante

Links para esta postagem


Este ano descobri que existe uma linha tênue entre a coragem e a idiotice, entre o otimismo e a burrice, entre a razão e o pessimismo, entre a confiança e a desilusão, eu como sempre pulei de um lado e de outro da linha.
Da minha coragem fiz minhas idiotices costumeiras que sempre me levam muito dinheiro e me traz grande azia, descobri a tempo e hoje mantenho meus pés na coragem espero não ir visitar o outro lado tão cedo.
Do meu otimismo cego pulei para a burrice ao desconsiderar todos os fatores que se mostravam tão claros na minha frente logo eu um cara que abomina todo o tipo de auto-enganação me enganei e me deixei levar pelo otimismo exacerbado a confiar demais em mim, nos meus sentimentos e nas outras pessoas, não sei sinceramente se vou conseguir parar de andar em ziguezague por esta linha.
Da minha razão fiz o pessimismo, deturpei a razão, a racionalidade não tem nada a ver em projetar impossibilidades, sim o otimismo me cegou, apliquei a razão para evitar o otimismo, mas daí veio o pessimismo, a razão nos faz enxergar o que é posto, imutável e irrecuperável, devemos usar a razão e nossa racionalidade a fim de projetar um futuro consciente e com boa fundação, se este futuro projetado parece ser impossível você deve usar a razão e a racionalidade para deixá-lo possível, existe uma pequena chance de dar certo? Se sim, basta esforço e racionalidade, se não prove que não, para depois partir para a próxima, portanto, ser racional não é ser pessimista, ser racional é usar razão em prol de sua vida e não para extinguir possibilidades aparentemente impossíveis.
Da minha confiança fiz a desilusão, aprendi que se tratando de pessoas nem tudo é posto, se tratando de sentimentos muito menos, minha impressão que as coisas podiam agüentar qualquer força, não sei talvez eu novamente me iludisse, pensava que era maior era imutável, mas também forcei demais, abusei de minha confiança, fui injusto, injustificável e maldoso, talvez nesta hora estava do outro lado da linha em todas as outras situações, mas isto não justifica, minha sagacidade me cegou e isto é um erro, devemos ser coretos e honestos em todas as situações, na miséria e na fortuna, na doença e no bem estar, se apoiar em burrices para justificar idiotices, é no mínimo covarde e sem qualquer razão, são imorais, ações ruins não são justificáveis por outras ações ruins, os meios não justificam o fim, mas conseguir remover meus erros e consegui entender os porquês de cada erro, aprendi que não posso ser incoerente nas minhas ações, erros são erros, não podem ser usados como bengala para justificar outras ações.
E por fim vou cavalgando o meu Rocinante a procura de minha Dulcinea Del Toboso, lutando contra os moinhos de vento que sempre encontro em minha grande aventura errante.

De repente não mais que de repente

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Ateu é tudo chato

Links para esta postagem

Esta chegando o dia do nascimento de Jesus, hum bem de Mithra também, eita de Krishna também, opa de Horus também, mas que coisa do Klebão nó também será que ele é mais um Deus-Sol? Bom não sei, para quem não entendeu calma estou preparando um material que vai colocar Jesus no mesmo armário dos mitos.

Mas gostaria de postar aqui um poema de Vinicius de Moraes, seguindo a linha irônica do poema vou dizer que ele é um chato ateu, ele é armagurado com a vida, desgostoso, não vê a beleza da vida, já que como pode né? A racionalidade o matou de tristeza, não só ele como Machado de Assis, John Lennon, Roger Waters, Pablo Neruda, John Coltrane, (para citar poucos), estes ateus e sua falta de sensibilidade com as artes é incrível isto, maldito sejam os ateus.

Dia Da Criação

Composição: Vinicius de Moraes

I

Hoje é sábado, amanhã é domingo
A vida vem em ondas, como o mar
Os bondes andam em cima dos trilhos
E Nosso Senhor Jesus Cristo morreu na Cruz para nos salvar.

Hoje é sábado, amanhã é domingo
Não há nada como o tempo para passar
Foi muita bondade de Nosso Senhor Jesus Cristo
Mas por via das dúvidas livrai-nos meu Deus de todo mal.

Hoje é sábado, amanhã é domingo
Amanhã não gosta de ver ninguém bem
Hoje é que é o dia do presente
O dia é sábado.

Impossível fugir a essa dura realidade
Neste momento todos os bares estão repletos de homens vazios
Todos os namorados estão de mãos entrelaçadas
Todos os maridos estão funcionando regularmente
Todas as mulheres estão atentas
Porque hoje é sábado.

II

Neste momento há um casamento
Porque hoje é sábado.
Há um divórcio e um violamento
Porque hoje é sábado.
Há um homem rico que se mata
Porque hoje é sábado.
Há um incesto e uma regata
Porque hoje é sábado.
Há um espetáculo de gala
Porque hoje é sábado.
Há uma mulher que apanha e cala
Porque hoje é sábado.
Há um renovar-se de esperanças
Porque hoje é sábado.
Há uma profunda discordância
Porque hoje é sábado.
Há um sedutor que tomba morto
Porque hoje é sábado.
Há um grande espírito de porco
Porque hoje é sábado.
Há uma mulher que vira homem
Porque hoje é sábado.
Há criancinhas que não comem
Porque hoje é sábado.
Há um piquenique de políticos
Porque hoje é sábado.
Há um grande acréscimo de sífilis
Porque hoje é sábado.
Há um ariano e uma mulata
Porque hoje é sábado.
Há um tensão inusitada
Porque hoje é sábado.
Há adolescências seminuas
Porque hoje é sábado.
Há um vampiro pelas ruas
Porque hoje é sábado.
Há um grande aumento no consumo
Porque hoje é sábado.
Há um noivo louco de ciúmes
Porque hoje é sábado.
Há um garden-party na cadeia
Porque hoje é sábado.
Há uma impassível lua cheia
Porque hoje é sábado.
Há damas de todas as classes
Porque hoje é sábado.
Umas difíceis, outras fáceis
Porque hoje é sábado.
Há um beber e um dar sem conta
Porque hoje é sábado.
Há uma infeliz que vai de tonta
Porque hoje é sábado.
Há um padre passeando à paisana
Porque hoje é sábado.
Há um frenesi de dar banana
Porque hoje é sábado.
Há a sensação angustiante
Porque hoje é sábado.
De uma mulher dentro de um homem
Porque hoje é sábado.
Há a comemoração fantástica
Porque hoje é sábado.
Da primeira cirurgia plástica
Porque hoje é sábado.
E dando os trâmites por findos
Porque hoje é sábado.
Há a perspectiva do domingo
Porque hoje é sábado.

III

Por todas essas razões deverias ter sido riscado do Livro das Origens, ó Sexto Dia da Criação.
De fato, depois da Ouverture do Fiat e da divisão de luzes e trevas
E depois, da separação das águas, e depois, da fecundação da terra
E depois, da gênese dos peixes e das aves e dos animais da terra
Melhor fora que o Senhor das Esferas tivesse descansado.
Na verdade, o homem não era necessário
Nem tu, mulher, ser vegetal dona do abismo, que queres como as plantas, imovelmente e nunca saciada
Tu que carregas no meio de ti o vórtice supremo da paixão.
Mal procedeu o Senhor em não descansar durante os dois últimos dias
Trinta séculos lutou a humanidade pela semana inglesa
Descansasse o Senhor e simplesmente não existiríamos
Seríamos talvez pólos infinitamente pequenos de partículas cósmicas em queda invisível na terra.
Não viveríamos da degola dos animais e da asfixia dos peixes
Não seríamos paridos em dor nem suaríamos o pão nosso de cada dia
Não sofreríamos males de amor nem desejaríamos a mulher do próximo
Não teríamos escola, serviço militar, casamento civil, imposto sobre a renda e missa de sétimo dia,
Seria a indizível beleza e harmonia do plano verde das terras e das águas em núpcias
A paz e o poder maior das plantas e dos astros em colóquio
A pureza maior do instinto dos peixes, das aves e dos animais em cópula.
Ao revés, precisamos ser lógicos, freqüentemente dogmáticos
Precisamos encarar o problema das colocações morais e estéticas
Ser sociais, cultivar hábitos, rir sem vontade e até praticar amor sem vontade
Tudo isso porque o Senhor cismou em não descansar no Sexto Dia e sim no Sétimo
E para não ficar com as vastas mãos abanando
Resolveu fazer o homem à sua imagem e semelhança
Possivelmente, isto é, muito provavelmente
Porque era sábado.

Esta ultima parte é excelente.

Laplace, quando Napoleão lhe perguntou por que na 'Mécanique Céleste' do grande astrônomo não se mencionava sequer o criador do mundo, respondia com estas palavras orgulhosas: 'Je n´avais pas besoin de cette hypothèse' (Eu não precisei recorrer a essa hipótese), como Laplace eu também não preciso desta hipótese.

sábado, 17 de novembro de 2007

Mulher obriga família a jejuar e morre

Links para esta postagem

Esta matéria foi publicada na folha na quinta-feira e vou fazer uma analise dela, que para mim já bastava o titulo para desmoronar todas a idéias de divindades e mostrar que a auto-enganação é realmente um fator muito presente no cotidiano brasileiro, encontramos níveis grandes de auto-enganação em todas as classes e com pessoas com níveis de escolaridade alto, realmente o Brasil é um pais pouco racional, e mesmo o sentido do que é razão é totalmente deturpado pelas pessoas, a razão toma moldes de pessimismo, e ai que entra a auto-enganação para suprir este pessimismo, deus provavelmente surgiu desta maneira, mas as pessoas mentem para elas mesmas das mais diversas formas, mas vamos ver a matéria meus comentários estão em vermelho.

Mulher obriga família a jejuar e morre

ITALO NOGUEIRA
DA SUCURSAL DO RIO

Cristã fervorosa, a missionária Cláudia Simião da Silva, 35, levou sua fé ao extremo ao jejuar por cerca de um mês -esperando um "enviado divino"- e obrigar duas sobrinhas, a irmã e a sogra a acompanharem o retiro. Ela foi encontrada morta, segundo a polícia, por inanição dentro da própria casa, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense (RJ).

Bom na minha modéstia opinião só esta primeira parte já mostra tudo, a Cláudia esperava o envio divino que não aconteceu, ela morreu dentro de casa esperando, onde estava deus? Já ouço as desculpas esfarrapadas dos teistas “deus não pode ser coagido”, “deus não age desta maneira”, “este tipo de suplica é primitivo deus não dá nada, mas da condição a fim de você conseguir isto”, bom vamos lá também acho que deus (se existisse) não poderia ser coagido, mas porque diabos ele não “iluminou” alguém para ir à casa da mulher e mostrar para ela que ela “age” de outras maneiras? Se este tipo de suplica é primitivo porque deus não deu condições para a mulher conquistar aquilo que ela queria? E se deu porque deus é tão evasivo e excluso em suas ações, se deus age desta maneira e a pessoa não consegue perceber que ele esta agindo seria melhor simplesmente não considerar mais a ação de deus, já que é impossível de conceber? E o jejum é um artifício católico muito forte, quartas feiras de cinza e sexta feira santa, a proibição de comer carne, deus fica putinho se você comer carne nestes dias, isto porque ele deu uma relaxada nesta vontade dele antes era a quaresma inteira de jejum e sem carne, depois você podia comer carne até não agüentar mais, mas nestes dias não, porque? Vai lá saber deus é meio doido! Ou as pessoas são meio doidas de acreditar em deus?

As cinco pessoas ficaram confinadas por quase dois meses em casa. As irmãs Adrielle, 9, e Grazielle Souza Santos Simião, 11, foram internadas na sexta-feira apresentando quadro de desnutrição e de confusão mental e devem ficar hospitalizadas por quase um mês. Na mesma situação estão Cátia Simião da Silva (irmã), 31, e Lúcia Maria Simião da Silva (sogra).
Cláudia teria obrigado a família a permanecer dentro de casa. Em depoimento à polícia, o pai das duas garotas, o desenhista técnico Uendes Simião da Silva, 33, afirmou que Grazielle lhe contou que "Cláudia havia dito que o jejum duraria até que recebessem uma resposta de Deus no sentido de enviar uma pessoa que os tirassem daquela vida e os levassem para uma casa na zona sul [área nobre do Rio de Janeiro]".

Como deus é bom né gente? Olha só ele ama tanto a humanidade que ele deixou uma menina de 9 anos e outra 11 quase morrer só porque ele gosta que jejuem e obrigue ele a ajudar os humanos, “estes humanos malditos” deve pensar ele “como eles querem que eu ajude? Não gosto deste tipo de ação, rezem e vão a igreja comer a rodelinha branca com o corpo do meu filho dentro, o é o meu corpo? A sei lá acho que é um mix do meu corpo com o do meu filho e do espírito santo, ou não? Nossa estou confuso! Opa nossa a mulher morreu, a que se dane, estes malditos humanos” lógico isto se deus existisse, como ele não existe a mulher simplesmente morreu porque se auto-enganou.

Não se sabe a qual denominação religiosa Cláudia pertencia. Ela freqüentava a Igreja Batista de um bairro próximo, mas havia abandonado os cultos cerca de dez anos atrás. Depois disso, viajou para Argentina, Uruguai e Angola. Segundo Uendes, ela era formada em teologia e cursava direito.
A clausura começou em meados de setembro. Confinados, os moradores da casa inicialmente só podiam comer o que havia dentro da residência. No início de outubro, a luz foi cortada, pois a família completara três meses sem pagar a Light -distribuidora de energia elétrica. A comida, estragada, não pôde mais ser consumida. Foi quando o jejum começou.

Errrr bem sabe o que é, então, hummm, A MULHER NÃO ERA ANALFABETA e IGNORANTE, pelo contrario formada em teologia que é a pseudo-filosofia da auto-enganação e invenção e cursava ainda de quebra direito (lógico que direito não é nossa que curso mas é faculdade só 3% da população tem acesso) ela é o exemplo simples e puro de como o homem criou deus, e também é exemplo que o próximo passo para um mundo melhor é um mundo sem deus, sem ilusões sem delírios vamos só olhar para o mundo e tentar fazer aqui o nosso paraíso.

E importa a denominação religiosa? É tudo besteira pseudo-filosofica tudo invenção.

Imagino um pastor ou padre falando

“-Irmãos hoje acordei e tive um sonho que deus mandou todos jejuar muito, e lógico doar não 10% mas 15% do nosso salário, deus falou com estas palavras no meu sonho “Peça para que eles doem até doer”.

Sim agora a “explicação” destaques essenciais em negrito

Cursos bíblicos
Durante todo o tempo, as criança tiveram "cursos bíblicos", segundo a conselheira tutelar Elaine Galvão, que ouviu Grazielle no Hospital Estadual Carlos Chagas.
Além dos portões trancados e da ausência total de eletricidade, Cláudia tampou as janelas com cortinas pretas. Segundo Galvão, ninguém foi agredido durante o confinamento.
Na sexta-feira, por volta das 17h, as duas crianças conseguiram sair de casa. Cláudia já estava morta há cerca de cinco dias, e seu corpo havia entrado em estado de decomposição.
Cátia e Lúcia desmaiavam e vomitavam sobre os próprios corpos regularmente (ta certo deus não pode ser coagido, mas deixar duas crianças neste estado? Para com isto é revoltante acreditar que possa existir alguém assim e pior alguém assim que é o deus todo poderoso é simplesmente ridículo conceber que exista um deus) . A avó, então, mandou as meninas procurarem ajuda.
"Elas pareciam aquelas crianças da Etiópia. Era só pele e osso", afirmou José Carlos Lima, 36, vizinho da família. As duas procuraram ajuda no bar de Milton André, 64. Ele lhes ofereceu macarrão, leite, bala e refrigerante, mas elas não conseguiam comer.
Segundo o delegado Flávio de Brito, a avó e os pais das meninas podem responder por crime de abandono de incapaz, mas a conclusão do inquérito ainda está indefinida.
O laudo do IML (Instituto Médico Legal) apontando a causa da morte de Cláudia ainda não foi concluído.



"O Povo gosta e deseja ser enganado" e adiciono "O Povo gosta e deseja ser enganado e se enganar"

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

E nossa história não estará pelo avesso – Analise da Vida pt03

Links para esta postagem
“...E até lá, vamos viver
Temos muito ainda por fazer
Não olhe para trás*
Apenas começamos.
O mundo começa agora
Apenas começamos...”
Renato Russo

* Não olhe para trás é em alusão a não remoer erros, mas superalos em novos acertos


Mas entre erros e acertos, a aventura de viver neste mundo abandonado no espaço, este pálido ponto azul na vastidão do universo é a nossa unica viajem nosso unico tiro, então sem governo, sem organização alem humana, cabe a nós homens frutos naturais do mundo, casualidade determinada por bilhões de anos de acontecimentos, cabe a nós governarmos o mundo e nossas vidas, não tenho duvidas que isto é o que devemos nos preocupar, viver a vida na sua maxima potencia, construir e deixar a sua marca, viver a vida não é abandonar trabalho, familia, sociedade e se enfiar em um mato, ou em um mosteiro, virar hippie ou frade enclasurado, ou um monge, se for para isto se auto-elimine você é um peso morto e não tem o porque de você estar vivo, você tende a projetar o seu futuro de forma a melhorar o ambiente e o mundo que lhe cerca, se for para deixar como esta você é nulo, se você projetar o futuro e piorar o mundo você começa a ser um mal, este pensamento é tão real e natural que o proprio homem já percebeu isto e naturalmente criou mecanismos de seleção, as leis servem para ordenar e punir os humanos que pioraram o meu ambiente em que eles vivem, as escolas, faculdades e instituições de ensino tendem a dar suporte aos humanos para projetar um mundo melhor, tudo que o homem acaba fazendo ou é para projetar o mundo melhor ou pior, é ai que entra o meu conceito do que é errado e o que é certo, certo é projetar o futuro a fim de melhorar o mundo, errado é projetar o futuro a fim de piorar o mundo, é um pouco vago a principio mas com uma pequena afinação teórica vamos ver que o mundo depende de nossas ações e as nossas ações vão determinar um mundo melhor ou pior e assim devemos buscar o mundo melhor seguindo a premisse que citei “A minha ação presente é baseada em uma analise do passado a fim de formar uma projeção futura”, seguindo esta determinação você irá reconhecer erros e acertos passados e vai agir no presente de forma que sua projeção do futuro não contenha erros do passado. Portanto se conseguirmos uma projeção do futuro que elimine erros cometidos no passado, considerando que vamos repetir alguns erros por nem sempre interpretar o passado corretamente tendendo a fantasiar e glorificar algumas ações que na realidade se apresentavam de uma forma diferente, nos mostra que enxergar o que esta realmente acontecendo, a “realidade real” é fundamental para o acerto da sua projeção futura, com isto e a analise fria e metódica do passado, projetando o futuro refinado com o conhecimento, você pode encarar todo e qualquer desafio se o mesmo deixar o mundo melhor e todo o futuro projetado pode e deve ser suplantado assim que uma oportunidade lhe der uma projeção futura melhor que a que você já tem, e como a vida é uma sucessão de fatos e o presente é o momento, como já disse, tenho a minha projeção futura sendo alterada constantemente, e isto fecha toda a minha analise expedita da vida e principalmente da minha vida e sinceramente não acho que estou errado, como eu disse isto aqui é único e no final quando você morrer e ai aplico o pensamento de Sartre “A morte é a continuação da minha vida sem mim” o que continuará? Eu quero continuar pela eternidade por isto vou sempre aceitar o desafio e projetar o melhor futuro possível que o momento me apresentar, erros acontecem, às vezes para realizar o que você projeta é necessário a interação de outras pessoas e nem sempre você consegue isto, mas mesmo assim é necessário seguir em frente e quem sabe um dia as pessoas também compartilhem desta vontade de viver

Viver desta maneira é andar em uma montanha russa onde não se tem trilhos a sua frente, só existem os trilhos por onde você passou e a cada instante aparece um novo trilho, você controla o carrinho, cria o seu caminho, sempre imaginando um caminho futuro, quanto mais loops, curvas, descidas íngremes, mais da vida você consome mais você melhora o mundo, são emocionantes as expectativas que você tem ao juntar a sua montanha russa com a de bilhões de pessoas no mundo cada uma criando seu trilho e seu caminho, a vida é adrenalina pura, imagine este emaranhado de montanhas russas e você encontrar uma que você possa seguir juntos? Eu encontrei pena que não andamos na mesma velocidade.

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Vida louca, louca vida - Analise da Vida pt02

Links para esta postagem
Este ano tem sido incrível para mim, aconteceu e vem acontecendo um sem fim de coisas, lógico que sei muito bem que a vida é assim sem organização nenhuma, Gabriel Garcia Marques diz muito bem quando fala que “A vida é uma sucessão continua de oportunidades” junta isto com um cara que gosta de desafios a coisa tende a ficar um pouco agitada, desde tempos remotos que tenho sangue quente, uns preconizaram meu “desespero” por viver desafios, como infantil e desesperado, uns temiam pela minha vida, e outros ainda acham que sou maluco e desconheço o que realmente vale na vida, acredito que muitos destes quando conhecerem algo que os desafiassem e este algo era o que eles sempre perseguiram também se tornaram malucos, desesperados e infantis, espero que se tornem, uns já estão assim.
A partir do dia que abri os olhos e vi que o mundo é este aqui e não tem nada mais do que este mundo, comecei a enxergar a vida de maneira nova, sem travas, sem temor, sem o medo da danação eterna, sem precisar bajular seres mágicos esperando soluções mágicas para os problemas do mundo, a como é bom se sentir livre, nestes dias uma pessoa me disse que é incrível a felicidade que ela sente quando entra em uma igreja, rebati perguntando se ela não sente a mesma sensação quando esta com o amor da vida dele, ou quando chega no final do dia senta e relaxa, ou ouve uma musica que lhe agrada, se sentir bem entrando na igreja ou rezando é só um sintoma humana de relaxamento, ao entrar na igreja você relaxa “sabendo” que se você rezar e ter fé seus problemas irão ser resolvidos pelo grande ser mágico chamado Deus, Jesus, Alá, Superman, Super 15, o que você quiser ai, bom lógico que este engodo da felicidade ao entrar na igreja e se sentir bem é entendido como mais uma situação de relaxamento, neste caso, é pior que ouvir uma musica ou ficar com o seu amor ou tomar uma cerveja gelada no fim do dia, relaxar na igreja é mentir para você mesmo, pois o mundo vai continuar obedecendo as leis naturais que o cerca reze o quanto você quiser, e isto para mim era uma coisa horrível, ao me libertar das garras da Ilusão de Deus um clarão se abriu na minha cabeça, hoje sou feliz, sou feliz porque eu sei que Deus não existe.
Mas o que isto tem haver com o meu ano? Tudo! Sim porque esta minha vontade de viver, esta minha razão de me tornar o que realmente eu sou, me impulsiona a fazer tudo não posso negar que algumas pessoas não me entendem não me acompanham, perdi o amor da minha vida por conta disto, mas daí os mais críticos podem me dizer “Se você perdeu o amor da sua vida por conta disto, será que é correto o seu modo de viver?”, mas ai responde não á jeito correto de se viver, eu sou uma pessoal totalmente racional, penso racionalmente, mas sou uma pessoa emotiva, alegre e como dizem sou “Espirituoso” (odeio este adjetivo) eu só vivo, esta é a beleza se não se apoiar em seres místicos, esta vida é o único tiro, perdi o amor da minha vida por conta da minha vontade de viver e sentir a vida, tudo tem o seu tempo, mas o meu tempo é o tempo de agora, sei que meus amigos e família sabem que comigo não tem tempo ruim, que raramente nego algo, estou pronto para tudo, gosto de seguir esta Lei que criei “A minha ação presente é baseada em uma analise do passado a fim de formar uma projeção futura”, se eu considerar que o presente é formado por momentos, a minha projeção futura pode ser alterada a qualquer momento, a liberdade que isto me dá é enorme, a analise do meu passado não me deixa fazer loucuras, mas me da suporte a fim de ousar, erros acontecem? Sim muitos! Este ano apliquei a minha Lei várias vezes, analisei o passado, projetei o futuro e executei a minha ação, onde sempre erro? Na analise do passado, masquei resultados e ignorei evidências passadas, como no caso do amor da minha vida, a minha analise era que eu já tinha feito coisas no passado e nós ainda estávamos juntos se eu fizesse (no caso a minha casa) mesmo eu abdicando um pouco de tempo para nós era uma coisa que era para o nosso futuro e ela iria entender. Bom a coisa desandou no meio tive sérios problemas para resolver, não podia dar suporte para ela e ela também não agüentou o baque, depois de alguns meses consegui reorganizar a minha vida, mas ela eu perdi, um erro de analise do passado, eu errei e fui penalizado a vida sem seres mágicos é assim, liberdade sem rédeas, mas o erro é punido também e você sabe que não foi punição divina, ou o diabo, foi você mesmo que errou, eu perdi o amor da minha vida porque eu errei, não porque eu trato a vida de maneira aberta e sem restrições, eu perdi porque eu errei.


Vou continuar e fechar a Trilogia com uma analise final disto tudo.

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Deus entendeu? Ou quer que eu desenhe? - Analise da Vida pt01

Links para esta postagem
Não vejo a vida como muitos vêem, sempre ouvi e aprendi que a vida tinha um grande organizador, um cara que deixa as coisas nos eixos, recompensava os aflitos*, dava o pitaco dele em um monte de coisas pela boca de uma meia dúzia de escolhidos, aprendi que sempre foi assim e assim que deveria ser pois é insensato ver um mundo tão grande com tantas coisas se o mesmo não tivesse um organizador, é até insano, bom insanidade por insanidade, e movido pela curiosidade humana, fui entender como este grande organizador, organiza, qual a sua metodologia, ou como disse Einstein uma vez “quero saber o que deus estava pensando quando fez o mundo”**, eu como Einstein queria entender o que deus estava pensando, seria algo incrível acompanhar e interagir de sua organização, primeiro passo fui procurar os que estão com deus a muito tempo, frases começaram a se repetir em minhas indagações “Deus escreve certo em linhas tortas”, “Deus é um mistério que a mente humana não esta preparada para entender”, “Você não precisa saber o que Deus quer, ele já sabe o que você quer e isto basta”, não entendi patavina nenhuma das frases ou o que queriam dizer, mas entendi que deles os “entendidos” não iria conseguir nada ou estavam com preguiça ou não queria abrir o jogo, corri para os pensadores e filósofos das religiões, e percebi que todos atribuíam poderes e desígnios divinos de uma forma um pouco fictícional, uns diziam que deus era isto, outros falavam que não era, deus pune diferente do que punia em uma religião de outras, e até em uma religião onde deus não tolerava tal atitude de uns tempos para cá deus começou a tolerar, todas tinham um linha central, onde a idéia organizacional de deus estava escrita em livros antigos, anteriores até da invenção da escrita, contavam as histórias de povos antigos, e tentavam encaixar na no mundo de hoje, percebi que de longe isto não é muito organizado, livros que contem um monte de contos e historias, não podem ser um manual de organização e boa conduta, no maximo é um exemplo de literatura antiga, outro padrão encontrado é que deus mesmo sendo onisciente dependia de você ficar lembrando ele de suas necessidades, e para isto você tem que louvar ele, quanto mais louvor e fé deus fica gostando mais de você e como ele já sabia e você ainda fica enchendo o saco dele toda hora, ele resolve te atender, nem preciso dizer que é ridículo isto tudo, porque diabos deus ia querer que você ficasse puxando o saco dele e falando que ele é o maior, o legalzão, o tudo e tal, ele já não saberia disto? E alem disto deus parece gostar muito de rituais e seqüências de movimentação do corpo, gosta que você coma certas coisas, e outras não, têm uma a que eu freqüentava que deus gostava que você come-se uma rodela branca feita de água, sal e farinha, daí antes de você comer um representante de deus falava umas palavras, e o corpo de um enviado de deus a cerca de 2000 anos atrás entrava nestas rodelas, e depois que você come-se recebia o corpo do dito enviado, estava começando a não entender porque deus tinha tantos problemas com a sua auto-estima e o pior porque ele queria que a os homens fizessem tantas coisas estranhas em seu nome e para ele, ainda como deus mudava suas idéias e vontades de região para região e depois descobri que não só de região para região que deus mudava suas idéias e vontades, mas também de pessoa para pessoa, cada uma tinha uma incrível idéia de como deus é, e todas sem me apresentar nenhuma evidencia sabiam também o que ele queria que ela fizesse, eu ficava agoniado porque deus mudava tanto de opinião e idéia, do pouco que sabia de organização, aquilo não era organização. Comecei a ver que a resposta não estaria ali e um belo dia, encontrei a ciência e uma filosofia que falava mais do homem e da vida e que tentava ver a vida como ela se apresentava. Vou continuar este assunto em um próximo post.

*Nunca entendi esta parte já que este organizador esta lá porque diabos ele tem que recompensar algo, erro de gerencia grave isto
**Einstein não era puramente ateu, mas teista que não era, ele declarou várias vezes “que a idéia de um deus individual é absurda”, mas ele entendia deus nos moldes panteísta, ou um deus como Espinoza desenhou “deus criou o mundo em 7 dias e foi dormir e continua dormindo” para Einstein deus seria a reunião de todas as forças mas não em uma só mas como vetores que somados formariam o universo, o panteísmo é um ateísmo fraco.

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

10 Mitos e Verdades sobre o Ateismo

Links para esta postagem
Texto traduzido do original e eu acrescentei algumas coisas o original é de Sam Harris que esta neste link

Várias pesquisas indicam que o termo “ateísmo” tornou-se tão estigmatizado nos EUA que ser ateu virou um total impedimento para uma carreira política (de um jeito que sendo negro, muçulmano ou homossexual não é). De acordo com uma pesquisa recente da revista Newsweek, apenas 37% dos americanos votariam num ateu qualificado para o cargo de presidente.
Ateus geralmente são tidos como intolerantes, imorais, deprimidos, cegos para a beleza da natureza e dogmaticamente fechados para a evidência do sobrenatural.
Até mesmo
John Locke, um dos maiores patricarcas do Iluminismo, acreditava que o ateísmo “não deveria ser tolerado” porque, ele disse, “as promessas, os pactos e os juramentos, que são os vínculos da sociedade humana, para um ateu não podem ter segurança ou santidade.”
Isso foi a mais de 300 anos atrás. Mas nos Estados Unidos hoje, pouca coisa parece ter mudado. Impressionantes 87% da população americana alega “nunca duvidar” da existência de Deus; menos de 10% se identificam como ateus — e suas reputações parecem estar deteriorando.
Tendo em vista que sabemos que os ateus figuram entre as pessoas mais inteligentes e cientificamente alfabetizadas em qualquer sociedade, é importante derrubarmos os mitos que os previnem de participar mais ativamente do nosso discurso nacional.
1) Ateus acreditam que a vida não tem sentido.
Pelo contrário: são os religiosos que se preocupam freqüentemente com a falta de sentido na vida e imaginam que ela só pode ser redimida pela promessa da felicidade eterna além da vida. Ateus tendem a ser bastante seguros quanto o valor da vida. A vida é imbuída de sentido ao ser vivida de modo real e completo. Nossas relações com aqueles que amamos têm sentido agora; não precisam durar para sempre para tê-lo. Ateus tendem a achar que este medo da insignificância é… bem… insignificante.
2) Ateus são responsáveis pelos maiores crimes da história da humanidade.
Pessoas de fé geralmente alegam que os crimes de distos ateus pelo folclore como
Hitler, Stalin, Mao e Pol Pot foram produtos inevitáveis da descrença. Hitler não foi ateu, pelo contrario, em seus discursos ele apelou várias e várias vezes para o sentimento cristão da população, inclusive se utilizando da nefasta crença catolica de que os judeus eram ”assassinos de Cristo” para justificar seu anti-semitismo. O problema com o fascismo e o comunismo, entretanto, não é que eles eram críticos demais da religião; o problema é que eles era muito parecidos com religiões. Tais regimes eram dogmáticos ao extremo e geralmente originam cultos a personalidades que são indistinguíveis da adoração religiosa. Auschwitz, o gulag e os campos de extermínio não são exemplos do que acontece quando humanos rejeitam os dogmas religiosos; são exemplos de dogmas políticos, raciais e nacionalistas andando à solta. Nâo houve nenhuma sociedade na história humana que tenha sofrido porque seu povo ficou racional demais.
3) Ateus são dogmáticos.
Judeus, cristãos e muçulmanos afirmam que suas escrituras eram tão prescientes das necessidades humanas que só poderiam ter sido registradas sob orientação de uma divindade onisciente. Um ateu é simplismente uma pessoa que considerou esta afirmação, leu os livros e descobriu que ela é ridícula. Não é preciso ter fé ou ser dogmático para rejeitar crenças religiosas infundadas. Como disse o historiador Stephen Henry Roberts (1901-71) uma vez: “Afirmo que ambos somos ateus. Apenas acredito num deus a menos que você. Quando você entender por que rejeita todos os outros deuses possíveis, entenderá por que rejeito o seu.”
4) Ateus acham que tudo no universo surgiu por acaso.
Ninguém sabe como ou porquê o universo surgiu. Aliás, não está inteiramente claro se nós podemos falar coerentemente sobre o “começo” ou “criação” do universo, pois essas idéias invocam o conceito de tempo, e estamos falando sobre o surgimento do próprio espaço-tempo.
A noção de que os ateus acreditam que tudo tenha surgido por acaso é também usada como crítica à teoria da evolução darwiniana. Como Richard Dawkins explica em seu maravilhoso livro, “A Ilusão de Deus,” isto representa uma grande falta de entendimento da teoria evolutiva. Apesar de não sabermos precisamente como os processos químicos da Terra jovem originaram a biologia, sabemos que a diversidade e a complexidade que vemos no mundo vivo não é um produto do mero acaso. Evolução é a combinação de mutações aleatórias e da seleção natural. Darwin chegou ao termo “seleção natural” em analogia ao termo “seleção artificial” usadas por criadores de gado. Em ambos os casos, seleção demonstra um efeito altamente não-aleatório no desenvolvimento de quaisquer espécies.
5) Ateísmo não tem conexão com a ciência.
Apesar de ser possível ser um cientista e ainda acreditar em Deus — alguns cientistas parecem conseguir isto — não há dúvida alguma de que um envolvimento com o pensamento científico tende a corroer, e não a sustentar, a fé. Tomando a população americana como exemplo: A maioria das pesquisas mostram que cerca de 90% do público geral acredita em um Deus pessoal; entretanto 93% dos membros da
Academia Nacional de Ciências não acreditam. Isto sugere que há poucos modos de pensamento menos apropriados para a fé religiosa do que a ciência.
6) Ateus são arrogantes.
Quando os cientistas não sabem alguma coisa — como porque o universo veio a existir ou como a primeira molécula auto-replicante se formou — eles admitem. Na ciência, fingir saber coisas que não se sabe é uma falha muito grave. Mas isso é o sangue vital da religião. Uma das ironias monumentais do discurso religioso pode ser encontrado com freqüência em como as pessoas de fé se vangloriam sobre sua humildade, enquanto alegam saber de fatos sobre cosmologia, química e biologia que nenhum cientista conhece. Quando consideram questões sobre a natureza do cosmos, ateus tendem a buscar suas opiniões na ciência. Isso não é arrogância. É honestidade intelectual.
7) Ateus são fechados para a experiência espiritual.
Nada impede um ateu de experimentar o amor, o êxtase, o arrebatamento e o temor; ateus podem valorizar estas experiências e buscá-las regularmente. O que os ateus não tendem a fazer são afirmações injustificadas (e injustificáveis) sobre a natureza da realidade com base em tais experiências. Nâo há dúvida de alguns cristãos mudaram suas vidas para melhor ao ler a Bíblia e rezar para Jesus. O que isso prova? Que certas disciplinas de atenção e códigos de condutapodem ter um efeito profundo na mente humana. Tais experiências provam que Jesus é o único salvador da humanidade? Nem mesmo remotamente — porque hindús, budistas, muçulmanos e até mesmo ateus vivenciam experiências similares regularmente.
Nâo há, na verdade, um único cristão na Terra que possa estar certo de que Jesus sequer usava uma barba, muito menos de que ele nasceu de uma virgem ou ressuscitou dos mortos. Este não é o tipo de alegação que experiências espirituais possam provar.
8) Ateus acreditam que não há nada além da vida e do conhecimento humano.
Ateus são livres para admitir os limites do conhecimento humano de uma maneira que nem os religiosos podem. É óbvio que nós não entendemos completamente o universo; mas é ainda mais óbvio que nem a Bíblia e nem o Corão demonstram o melhor conhecimento dele. Nós não sabemos se há vida complexa em algum outro lugar do cosmos, mas pode haver. E se há, tais seres podem ter desenvolvidos um conhecimento das leis naturais que vastamente excedem o nosso. Ateus podem livremente imaginar tais possibilidades. Eles também podem admitir que se extraterrestres brilhantes existirem, o conteúdo da Bíblia e do Corão lhes serão menos impressionante para eles do que são para os humanos ateus.
Do ponto de vista ateu, as religiões do mundo trivializam completamente a real beleza e imensidão do universo. Não é preciso aceitar nada com base em provas insuficientes para fazer tal observação.
9) Ateus ignoram o fato de que as religiões são extremamente benéficas para a sociedade.
Aqueles que enfatizam os bons efeitos da religião nunca parecem perceber que tais efeitos falham em demonstrar a verdade de qualquer doutrina religiosa. É por isso que temos termos como
“wishful thinking” e “auto-enganação.” Há uma profunda diferença entre uma ilusão consoladora e a verdade. E as religioes não são realmente beneficas para a humanidade, quando na verdade elas foram e continuam sendo a origem de inumeros males e abominações sociais, desde a morte de ”hereges” na Inquisição espanhola e nos atuais paises islamicos á morte de milhares de Testemunhas de Jeova por se recusarem a transfusoes de sangue e transplantes, sem contar com coisas como negação de direitos basicos a homossexuais e negação do direito das pessoas ao seu proprio corpo.
E ainda na maioria das vezes, parece que as religiões dão péssimos motivos para se agir bem, quando temos bons motivos atualmente disponíveis. Pergunte a sí mesmo: o que é mais moral? Ajudar os pobres por se preocupar com seus sofrimentos, ou ajudá-los porque você acha que o criador do universo quer que você o faça e o recompensará por fazê-lo ou o punirá por não fazê-lo?
10) Ateísmo não fornece nenhuma base para a moralidade.
Se uma pessoa ainda não entendeu que a crueldade é errada, não descobrirá isso lendo a Bíblia ou o Corão — já que esses livros transbordam de celebrações da crueldade, tanto humana quanto divina. Não tiramos nossa moralidade da religião. Decidimos o que é bom recorrendo a intuições morais que são (a certo ponto) embutidas em nós e refinadas por milhares de anos de reflexão sobre as causas e possibilidades da felicidade humana.
Nós fizemos um progresso moral considerável ao longo dos anos, e não fizemos esse progresso lendo a Bíblia ou o Corão mais de perto. Ambos os livros aceitam a prática de escravidão — e ainda assim seres humanos civilizados agora reconhecem que escravidão é uma abominação. Tudo o que há de bom nas escrituras — como a regra de ouro por exemplo — podem ser apreciadas por seu valor ético, sem a crença de que ela nos tenha sido passada pelo criador do universo.