quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Reinaldo Azevedo, Entre a Razão e a Fé Infundada

"A piedade não é natural ao homem.
Crianças são sempre cruéis.
Selvagens são sempre cruéis.
A piedade é adquirida e aperfeiçoada pelo cultivo da razão"
Samuel Johnson
Reinaldo Azevedo é um colunista da Veja que por incrível que o pareça tem bons argumentos acerca da política, mas quando fala de religião ele tira o seu cérebro e põe de lado, neste texto que se encontra neste link http://veja.abril.com.br/241208/p_095.shtml, ele começou com cérebro, mas quando o tirou foi para valer, ele diz que o cristianismo foi quem fundou o humanismo, o mesmo cristianismo das perseguições as “bruxas” que fazia a mulher uma reles submissa do homem, o mesmo que não libertou os escravos (foram os poderes seculares que o fizeram), o mesmo cristianismo das cruzadas. Se foram atribuídas a Jesus que ele disse algumas coisas boas não duvido, mas nada de especial, a regra de ouro já existia no budismo, se os aclamados valores cristãos fossem tão úteis assim ao humanismo, o Brasil (maior pais católico do mundo) seria um paraíso de cordialidade, mas não o é, estamos envolto em guerras urbanas, assassinatos por motivos torpes, brigas, roubos e toda a gama de coisas que o cristianismo prega de forma errada para as pessoas não o fazerem, quem o faz pelo cristianismo é pelo egoísmo, sim egoísmo de que assim vai conseguir a redenção eterna, mas quando faz o mal, olha bem, pode ser perdoada basta se confessar, tudo é permitido desde que depois você se arrependa, isto é o que acontece na prática, mas então estamos perdidos? Felizmente não, existe a outra parte, a que sim realmente criou o humanismo, estamos falando da EDUCAÇÃO, países mais educados menos violência, corrupção e demais mazelas, países menos educados mais violência, corrupção e demais mazelas, não tem nada a haver com o cristianismo ou com qualquer religião pois nenhum pais muito religioso esta em paz, na verdade é incrível como o índice de religiosidade aumenta a violência e se no mesmo pais uma pessoa pensa diferente da outra sobre deus e geralmente cada religião diz que é o povo escolhido, logo remetemos a entender que o outro não é escolhido portanto o outro não vale nada e eles se matam para ver quem é realmente o escolhido.
Agora tirando a parte da teologia barata (e toda teologia é barata) que o Azevedo usa para “mostrar” que Dafur precisa de cristianismo (precisa de educação meu caro Azevedo), na parte prática estamos abandonados realmente por deus, bom queira ou não segundo o catolicismo Jesus é Deus e vice e versa e Jesus nasceu na região da palestina, agora porque nem ali pode ser um local de paz? Porque nem ali deus mostra um pouquinho do seu poder, já que para resolver aquele conflito é só “iluminar” umas 100 cabeças no máximo, porque nem ali onde o próprio deus nasceu ele resolve este conflito? É tão complicado assim? Bom lógico que a teologia explica porque deus não faz o obvio, a teologia explica tudo porque ela inventa a explicação, como eu falo por mais que eu filosofe sobre uma arvore de laranja que de limões, as arvores de laranja continuaram a dar laranja, isto é, no caso de deus posso filosofar a vontade pois ninguém pode me contestar, por isto existe tantas “certezas” sobre deus, mas o fato que pessoas estão morrendo pelo mundo e não é o cristianismo que irá salvar o mundo, ele teve 2000 anos para isto e não conseguiu, não conseguiu nem se quer salvar os escravos, as mulheres quanto mais o restante da humanidade? Vamos nos apoiar na educação e na razão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário